Tell your visitors your story. Add catchy text to describe what you do, and what you have to offer. The right words can inspire and intrigue your audience, so they’re ready to take action on your site. To start telling your story, double click or click Edit Text.

Blog

Dum Spiro Spero.

Dum spiro spero means "While I breathe, I hope" in Latin and is a modern paraphrase of ideas

that survive in two ancient writers, Theocritus and Cicero.

It is a motto of various places, families, organizations, and MINE.

O Casamento Eterno na Bíblia: Escrituras a ponderar



Muitos críticos atacam as doutrinas de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias sobre o fato de assumirem que não há referências na Bíblia sobre o Casamento eterno, realizados nos templos pelo poder Selador.

Algumas escrituras a ponderar:

1. A eternidade dos atos de Deus

Eclesiastes 3:14 – “Eu sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente; nada se lhe deve acrescentar, e nada se lhe deve tirar; e isto faz Deus para que haja temor diante dele.”

Uma vez que selamentos são realizados por portadores do Sacerdócio, que é o poder de Deus, então, selamentos são eternos.

2. As chaves e a autoridade Mateus 16:19 – “E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.” e Mateus 18:18 “Em verdade vos digo que tudo o que ligardes na terra ser…á ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra será desligado no céu.” Estas duas escrituras explicam sobre quando Cristo conferia o sacerdócio de Melquisedeque à Pedro, e mais tarde ao restante dos doze apóstolos, e Ele fala especificamente sobre o poder selador. Aquelas ordenanças também incluíam o batismo, a confirmação do Espirito Santo, bênçãos do Sacerdócio, e claro, casamentos. Aquele poder foi conferido à Pedro por Cristo, ou seja, ele ou nós não poderíamos fazer por nós mesmos.

3. Os ensinamentos de Cristo sobre o casamento após a morte Mateus 22:29-30 – “Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus. Porque na ressurreição nem casam nem são dados em casamento; mas serão como os anjos de Deus no céu.”

Algumas religiões inclusive utilizam esse verso justamente para provar que não há casamentos no céu. Mas esta escritura é a resposta de Cristo sobre casamento e ressurreição à um grupo que não acreditava na ressurreição, os Saduceus. Se lermos a escritura no contexto, os Saduceus estavam perguntando ‘Esposa de quem ela será na ressurreição?”, pois isso já era ensinado. Também, depois de Cristo lhes dizerem que eles não entenderam, Ele explica que depois da ressurreição ninguém se casará ou será dado em casamento. E é verdade, mas Ele não diz que as pessoas que se casaram ou se selaram ANTES da ressurreição não viverão como marido e mulher.

4. O casamento e o divórcio Marcos 10:2-9 – “E, aproximando-se dele os fariseus, perguntaram-lhe, tentando-o: É lícito ao homem repudiar sua mulher?

Mas ele, respondendo, disse-lhes: Que vos mandou Moisés?

E eles disseram: Moisés permitiu escrever carta de divórcio e re…pudiar. E Jesus, respondendo, disse-lhes: Pela dureza dos vossos corações vos deixou ele escrito esse mandamento; Porém, desde o princípio da criação, Deus os fez macho e fêmea. Por isso deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á a sua mulher, E serão os dois uma só carne; e assim já não serão dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem.”

Os fariseus estavam perguntando a Jesus se era okay se divorciar, e Ele ensinou que casamento era o plano de Deus desde a fundação do mundo. Ele também ensinou que divórcio era criação do homem, não do Pai Celestial. E confirma que o que o Senhor junta, o homem não separa. Fica meio estranho que o Senhor seja completamente contra o divórcio na terra, mas que aceita um divórcio eterno no céu, não fica?

Sobre divórcios, revogação de selamentos, cancelamentos

Alguns críticos usam ainda a escritura de Romanos 7:2-3 para dizer que se há a revogação de selamentos, então não são válidos.

A igreja não revoga casamentos a menos que os envolvidos peçam o cancelamento de seus selamentos. Não é culpa da igreja se alguns não fazem sua parte para terem um casamento eterno. Só será eterno se ambos trabalharem pra isso. A igreja proporciona a oportunidade para o convênio sob a autoridade correta conforme ensinado por Cristo. Mas as bênçãos são condicionadas à obediência e cumprimento dos mandamentos.

Em D&C 82:10, temos:

"Eu, o Senhor, estou obrigado quando fazeis o que eu digo; mas quando não o fazeis, não tendes promessa alguma."

Em D&C 58:30-33 também:

"30 Quem sou eu que fiz o homem, diz o Senhor, para considerar inocente o que não obedece aos meus mandamentos?

31 Quem sou eu, diz o Senhor, para prometer e não cumprir?

32 Eu mando, e os homens não obedecem; revogo, e eles não recebem a bênção.

33 Depois dizem em seu coração: Esta não é a obra do Senhor, porque suas promessas não se cumprem. Mas ai deles, porque sua recompensa os espreita de baixo e não de cima."

Um divórcio civil anula o casamento no que se refere ao direito civil, mas apenas por mandato do presidente da Igreja pode ser cancelado o selamento do casal. Um cancelamento do selamento é o que realmente nos referimos quando falamos de um divórcio no templo. Quando alguém completou um divórcio civil após o selamento no templo, ele deve ser liberado pela Primeira Presidência antes que ele possa receber uma recomendação do templo por seu bispo. Após a liberação do divórcio ter sido concedida pela Primeira Presidência, um pedido de cancelamento do selamento do templo pode ser feito ao presidente da Igreja. Normalmente, é a mulher que procura um cancelamento do selamento. Uma vez que uma mulher não pode ser selada a dois homens ao mesmo tempo, ela deve ter um cancelamento do selamento anterior antes que ela possa ser selada novamente. O profeta representa o Senhor na terra.

Se tiver mais dúvidas a respeito, converse com um presidente de templo se tiver acesso ao templo e ele lhe explicará melhor quando os que assim o pediram chegarem frente a frente com o Senhor. É Ele quem decidirá.

5. A complementaridade do homem e da mulher ‎1 Coríntios 11:11 – “Todavia, nem o homem é sem a mulher, nem a mulher sem o homem, no Senhor.”

No contexto da escritura, Paulo estava ensinando que homem e mulher ainda estarão juntos no Reino do Senhor. A doutrina do casamento celestial ensina que aqueles que foram fiéis aos convênios feitos nos altares do templo, viverão no Reino Celestial, onde o Senhor livre e reina, como marido e mulher para toda eternidade.

6. O Espírito da promessa E a mais clara de todas na minha opinião: Efésios 1:10, 13 – “De tornar a congregar em Cristo todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra. – Em quem também vós estais, depois… que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa.”

Na igreja sabemos que agora estamos na dispensação da plenitude dos tempos como foi profetizado por Paulo, e todas as promessas, bênçãos, chaves e convênios pertencentes ao Sacerdócio e Salvação dos homens estão na terra agora, incluindo o novo e eterno convênio do casamento eterno que é selado pelo Espírito da Promessa, conforme Paulo ensinou.

E esta escritura em Efésios confirma exatamente o que aprendemos em D&C 132:19:

“E também, em verdade vos digo: Se um homem se casar com uma mulher pela minha palavra, que é a minha lei, e pelo novo e eterno convênio e for selado pelo Santo Espírito da prome…ssa por aquele que foi ungido, a quem conferi esse poder e as chaves desse sacerdócio e for dito a eles: Surgireis na primeira ressurreição; e, se for depois da primeira ressurreição, na próxima ressurreição; e herdareis tronos, reinos, principados e poderes, domínios, todas as alturas e profundidades—então será escrito no Livro da Vida do Cordeiro que ele não cometerá assassinato, derramando sangue inocente; e se guardarem meu convênio e não cometerem assassinato, derramando sangue inocente, ser-lhes-á feito de acordo com todas as coisas que meu servo disse, nesta vida e por toda a eternidade; e estará em pleno vigor quando estiverem fora do mundo; e passarão pelos anjos e pelos deuses ali colocados, rumo a sua exaltação e glória em todas as coisas, conforme selado sobre sua cabeça; glória essa que será uma plenitude e uma continuação das sementes para todo o sempre.”

Na Bíblia Católica (versão Septuaginta, a versão utilizada pela maior parte do Cristianismo) há mais referências ao casamento eterno e famílias eternas. No Livro de Tobias: Tobias, logo após apresentar-se a Raguel e Edna, pais de Sara, pede-a em casamento. Raguel concede com as seguintes palavras:

"...Está bem, e a ti que ela deva ser dada segundo a Lei de Moisés, e o céu decreta que ela te seja dada. Recebe tua irmã. A partir de agora tu és seu irmão e ela é tua irmã (termo usado para designar "esposa" em Tobias 5:21; 8:4,7,21 ou "noiva" em Cantares 4:9; 5:1-2 e cf. 8:1). Ela te é dada a partir de hoje E PARA SEMPRE...recebe-a, pois ela te é dada por esposa, segundo a lei e a sentença escrita no Livro de Moisés"

(Tobias 7:11-12)

E mais adiante Raguel, ao confirmar sua condição de sogro, declara a Tobias: "...Tem confiança, filho! Sou teu pai, e Edna (esposa de Raguel) é tua mãe; junto a ti estaremos e junto de tua irmã (vide parênteses acima), desde agora E PARA SEMPRE."

(Tobias 8:21)

Pense bem: Leia Jó 42:1-17.

Por que Jó, depois de ter perdido tudo e ganhado tudo em dobro, no caso, perdeu 7000 ovelhas e depois ganhou 14.000, perdeu 3.000 camelos e ganhou do Senhor 6.000 etc., mas quanto aos seus filhos, que eram 7 homens e 3 mulheres, ele não teve o dobro de filhos, mas outros 7 homens e 3 mulheres?

Será que o Senhor se ‘esqueceu’ de dobrar a quantidade de filhos?

Não.

Uma vez que seus filhos haviam sido ‘selados’ a ele, o mesmo número de filhos somados aos primeiros filhos, de qualquer forma, na eternidade, seriam o dobro.

O primeiro casamento foi celebrado na biblia pelo Senhor (Genesis 2:21-24). A eternidade dos votos matrimoniais ensinados nas escrituras modernas (D&C 132) continuam através das chaves do poder selador com a autoridade divina do Sacerdócio.

#Eterno #LDS

  • Amazon Author
  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
© C. A. AYRES 2000-2019 - All Rights Reserved